Exportações aos países árabes têm recorde histórico

Publicado em 23/01/2023

As exportações do Brasil para a Liga Árabe alcançaram receita recorde de US$ 17,74 bilhões em 2022, alta de 23,06% sobre o ano anterior e o melhor resultado da série histórica iniciada em 1989.


De acordo com dados compilados pelo departamento de Inteligência de Mercado da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, as exportações do Brasil para o bloco de 22 países árabes no Oriente Médio e Norte da África tiveram alta prevalência de produtos do agronegócio. O setor foi responsável por 70,87% das receitas geradas ao longo do ano, ou US$ 12,57 bilhões, um aumento de 40,74% sobre o ano anterior.


A pauta de exportações para a região em 2022 foi liderada pelo açúcar, com receita de US$ 3,44 bilhões, alta de 24,73% sobre o ano anterior; seguido por derivados de aves, com US$ 3,16 bilhões, alta de 30,58% no mesmo comparativo; minério de ferro com US$ 2,91 bilhões, queda de 24,03% sobre 2021; milho, com US$ 2,01 bilhões, crescimento de 92,12%; soja, com US$ 1,11 bilhão, alta de 73,53%; e derivados bovinos, com US$ 1,04 bilhão, alta de 13,55% no mesmo comparativo.


Os principais destinos foram Emirados Árabes Unidos, que importaram do Brasil o equivalente a US$ 3,26 bilhões em 2022, crescimento de 40,09% sobre 2021. Em segunda posição, vem a Arábia Saudita, com o total de US$ 2,92 bilhões, alta de 41,26% no mesmo comparativo. Em terceiro, o Egito, com US$ 2,84 bilhões, crescimento de 41,2%. Figuram depois Argélia com US$ 1,92 bilhão, alta de 26,35%; Bahrein com US$ 1,41 bilhão, queda de 25,72%; Marrocos com US$ 1,07 bilhão, alta de 88,82%; Omã com US$ 1,04 bilhão, queda de 32,68% e Catar com US$ 614,63 milhões, alta de 54,2% sobre 2021.

Exportações aos países árabes têm recorde histórico

Compartilhe:

 

 

Visitas: 158

Fonte: Agência Anba

http://sindiex.org.br/ http://sindiex.org.br/


Este site utiliza cookies e outras tecnologias para melhorar a sua experiência. Leia nossa Política de privacidade.